bwin

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
INCLUSÃO E QUALIFICAÇÃO

Internos da Seap concluem curso de fabricação de biscoitos natalinos e panetones

Por Caroline Rocha (SEAP)
04/12/2023 17h40

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizado Comercial (Senac), encerrou o curso que qualificou 20 custodiados da Unidade de Reinserção de Regime Semiaberto de Santa Izabel (URRS Santa Izabel). É o terceiro curso na área de panificação realizado em 2023, desta vez voltado para a fabricação de biscoitos natalinos e panetones. Além da ressocialização pelo trabalho, a qualificação profissional gera oportunidades futuras e geração de renda.

Com a chegada do mês de dezembro, e com ele as festas de final de ano, o curso de fabricação de panetone foi a oportunidade ideal para os 20 alunos do curso de panificação aprenderem a produzir alguns dos tradicionais produtos consumidos nas festas natalinas. O tradicional pão com frutas cristalizadas é de origem italiana e chegou ao Brasil através dos imigrantes daquele país. Aqui no Brasil ganhou adaptações e caiu no gosto popular, tornando-se indispensável para muitos brasileiros na ceia de Natal.

A agrônoma e técnica de reinserção social da URRS Santa Izabel, Sabrina Lima, destacou que foi com essa perspectiva de ser um produto bastante consumido, que a fabricação de panetones foi escolhido como o terceiro curso da área de panificação para os 20 custodiados. Mas não só de panetones, os internos também aprenderam a produzir roscas natalinas, bolos e doces.

Outro fator que levou à escolha da promoção do curso foi a alta demanda por mão de obra especializada na área de panificação, como atestou a própria Sabrina. “Estivemos em Castanhal para comprar o material para o curso, e o dono da loja, além de não saber que formamos esse tipo de profissional, disse que no município há escassez muito grande por profissionais da panificação”, contou Sabrina.

“Esse curso de panificação é muito procurado por eles porque lá fora sabemos que o mercado é muito grande. E é uma oportunidade de empreendedorismo social, usar a família para fabricar em casa, ou mesmo criar uma panificadora, como muitos que já saíram dessa panificadora, que fizeram o curso, e já montaram seus próprios negócios. É muito gratificante esse curso vir para a URSS e trazer essa oportunidade para os nossos custodiados”, afirmou a técnica de reinserção social.

Ronaldo Maciel, de 39 anos, já atuou com a venda de alimentos, mas não possuía qualificação técnica como agora. O curso foi a oportunidade de voltar a trabalhar com a área de alimentos, mas agora com o peso de um certificado emitido pelo Senac, entidade reconhecida nacionalmente pela excelência na formação de profissionais nas diversas áreas. 

“Para mim tá sendo muito gratificante, agradeço a Deus, ao corpo técnico da casa porque mais uma vez fui escolhido para fazer esse curso, para me graduar na profissão de panificador. Ter sido escolhido no meio de muitos, tendo a oportunidade de estar voltando a essa profissão, com a Seap e o Senac trazendo esse curso para gente, eu agradeço muito. Muitos queriam ter essa chance, não tive condição lá fora de pagar um curso desse e estão trazendo para a gente, para ter essa oportunidade”, afirma Ronaldo.

Outro que aprovou a iniciativa do curso foi Francisco Fábio Nascimento Souza, de 39 anos. Sem ter profissão alguma, ele se encontra há 16 anos no cárcere e diz que até então “só fazia coisa errada”, mas agora já está em seu terceiro curso profissional concluído na URRS de Santa Izabel. Além de panificação, Francisco concluiu os cursos de Operação e Manutenção de Tratores e Implementos Agrícolas e de produção de Produtos Artesanais de Limpeza e Higiene. 

Empreendedorismo - Além da qualificação, o curso despertou nos alunos a ideia de empreenderem em um negócio próprio, caso não consigam uma oportunidade de trabalho, conta Francisco. Ele e outros colegas pretendem se unir e montar uma pequena empresa para comercializar os produtos que aprenderam a produzir através dos cursos de qualificação profissional. “Junto com nossos parceiros, através dessa oportunidade, nós vamos abrir uma empresa e também gerar renda para nossas famílias”, afirma.

“Quando eu vejo o sistema Seap trazendo várias oportunidades, disciplinando, dando essa grande oportunidade junto com o Senac, e demais parceiras, junto também com a casa penal aqui, é muito gratificante, não só pra mim como pra minha família. Como eu falo para os meus amigos, não é mais um certificado, mas sim um aprendizado para nós. Eu sou muito grato a Deus por tudo que ele está fazendo na minha vida e por esta oportunidade”, concluiu Francisco.

Texto: Márcio Souza - Ascom/Seap

bwin Mapa do site