bwin

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
PLANEJAMENTO

Adepará registra superávit na arrecadação e foca em investimentos para melhorar atendimento ao produtor rural

Por Rosa Cardoso (ADEPARÁ)
12/01/2024 11h32

Com a missão de planejar e executar ações que promovam a sanidade e a qualidade da produção agropecuária, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) registrou em 2023 um superávit na arrecadação e se prepara para realizar em 2024 novos investimentos com a finalidade de melhorar o atendimento ao produtor rural nos 144 municípios paraenses. 

O anúncio foi feito pelo diretor-geral Jamir Macedo durante conversa com os servidores da Agência. Acompanhado do diretor administrativo-financeiro, Jefferson Oliveira, e da diretora de Defesa e Inspeção Vegetal, Lucionila Pimentel, o gestor fez um balanço da atuação do órgão no último ano, ressaltando os pontos positivos de avanços para o agronegócio no Estado.

Do ponto de vista financeiro, pelo terceiro ano seguido a administração manteve a saúde financeira e iniciou o ano sem um número significativo de restos a pagar, atingindo superávit, que é apurado sobre o excedente de arrecadação em relação à meta orçamentária do exercício.

Produtividade - Direito garantido por lei desde 2014, a Adepará realizará o pagamento da produtividade a partir de ajustes fiscais que foram sendo executados no orçamento ao longo da gestão, alcançando equilíbrio financeiro. Para 2024, a produtividade deverá ser a maior já paga pela Agência desde a instituição do prêmio e contemplará mais de 700 servidores.  

Além dos investimentos em pessoal, o diretor também anunciou a aquisição de 50 motocicletas para o campo, a reforma de 10 unidades regionais, a construção de 3 novas regionais e a  instalação de um caixa eletrônico do Banpará na sede. Para acompanhar as demandas ambientais, a autarquia também pretende contribuir com a sustentabilidade e tem dialogado com o Governo para a implantação de energia limpa no prédio-sede, em Belém.

“Tudo será feito com recursos próprios. Isso demonstra uma atuação eficaz e uma regularidade administrativa-financeira e é muito importante ressaltar que neste ano o nosso foco é reduzir os gastos com custeio”, garantiu o diretor. 

Investimentos - Jamir Macedo ressaltou a importância da Agência em adquirir patrimônio, pois atualmente as atividades são realizadas em 94 imóveis alugados. “Nós fizemos um planejamento forte focado em investimentos. Então, este ano nós queremos reduzir ao máximo o custeio e reverter esses recursos para investimento de fato, que é o que deixa um legado e nos torna mais robustos como autarquia. Para que isso tenha êxito, contamos com o apoio de cada servidor, do nosso time“.

Gestão agropecuária - Na ocasião, o diretor também destacou a implantação do Sigeagro, novo sistema de gestão agropecuária, que começou a funcionar em novembro de 2023, e explicou que o sistema está recebendo ajustes para melhor atender às demandas do campo. “Nós tínhamos um sistema de licença de uso e a renovação ficou muito cara e inviável. Decidimos então ir em busca de uma solução. Em tratativas com a Agência de Defesa do Estado do Tocantins, firmamos um convênio de doação e estamos realizando ajustes e adaptações para a realidade do nosso Estado. Em breve, nós teremos um sistema robusto, próprio da agência, que será utilizado conforme nossa necessidade com as modificações dentro do que nós precisamos e que será referência nacional”, enfatizou. 

Macedo, que é fiscal agropecuário e servidor de carreira da Agência, assim como toda a diretoria, aproveitou a oportunidade para parabenizar as áreas de defesa animal e vegetal que se empenham na prevenção de doenças e pragas, ressaltando o trabalho realizado para a implantação do programa de rastreabilidade bovina, lançado na COP 28, em Dubai, que será desenvolvido por toda a cadeia pecuária a partir deste ano, com vistas a alcançar novos mercados para os produtos paraenses, e também o esforço das equipes que atuaram na erradicação da mosca da carambola no Baixo Amazonas e Calha Norte, que já não registram presença do inseto no monitoramento que vem sendo realizado permanentemente na região. 

bwin Mapa do site