bwin

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
INAUGURAÇÃO

Governo inaugura Oficina Ortopédica no CCBS da Uepa, em Belém

A nova estrutura física já nasce sendo referência na dispensação de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção para usuários de toda a Região Metropolitana de Belém

Por Marília Jardim (UEPA)
30/01/2024 15h27

O Governo do Pará inaugurou, nesta terça-feira, 30, a Oficina Ortopédica Fixa (OOF) da Universidade do Estado do Pará (Uepa), vinculada ao Centro Especializado de Reabilitação (CER III), localizado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), em Belém.

A Uepa é pioneira e referência em tecnologia assistiva. A Oficina Ortopédica Fixa habilita o serviço que já existe na instituição, o Laboratório de Tecnologia Assistiva (Labta), ampliando e criando serviços de confecção, dispensação, adaptação e manutenção de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM), com redução de custos e acelerando a reabilitação de pacientes adultos e crianças.

A construção do novo espaço do CER III começou em maio de 2021 e, com a inauguração, fortalecerá ainda mais a presença do Estado no cenário nacional da inclusão. A Oficina Ortopédica apresenta uma área total de 393 m². O espaço tem recepção, administração, sala de atendimento, sala de tomada de moldes, duas salas de sessão de adaptação e manutenção, sala de sessão de selaria e tapeçaria, sala de gesso, sala de sessão de sapataria, sala de termomoldagem, sala de máquinas, sala de compressor, sala de montagem de próteses, três banheiros PCDs, dois vestiários, copa, depósito, e um almoxarifado.

O Governo do Estado viabilizou o recurso de mais de um milhão de reais para a construção do novo prédio da Oficina Ortopédica Fixa. A nova estrutura física da OOF já nasce sendo referência na dispensação de OPMs para usuários de toda a Região Metropolitana de Belém como: Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Barcarena, Abaetetuba, Mosqueiro, além de atender também ribeirinhos da ilha do Combú e, assistir diversos pacientes da região do Marajó, entre outros.

A Oficina Ortopédica Fixa é composta pelos seguintes profissionais: dois médicos ortopedistas; três técnicos ortopédicos, sendo devidamente habilitados pela Associação Brasileira de Ortopedia Técnica (Abotec); um sapateiro ortopédico; três terapeutas ocupacionais e um fisioterapeuta. Todos são constantemente capacitados.

Outro grande diferencial da Oficina Ortopédica Fixa (OOF) do CCBS/Uepa é a produção científica, que já existia no Laboratório de Tecnologia Assistiva (Labta), ligado ao curso de graduação de Terapia Ocupacional da Uepa, que desde 2000 vem desenvolvendo atividades de ensino, pesquisa e extensão, além de produtos assistivos economicamente acessíveis à realidade da nossa população. Por meio da produção de materiais de baixo custo, a Uepa forma gerações de novos profissionais com esta metodologia e humanização que oferece, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), tratamentos de reabilitação a pacientes com sequelas de diabetes, hanseníase, traumato-ortopédicos, pessoas com deficiência como paralisia cerebral, Transtorno do Espectro Autista (TEA), Síndrome de Down etc. Dessa forma, o serviço da OOF facilitará ainda mais o acesso aos pacientes que poderão garantir adaptações adequadas, ganho de funcionalidades, autonomia nas atividades da vida diária, inclusão e mais qualidade de vida.

Paciente desde março de 2022, o carpinteiro José Luis Silva Santa Brígida, 53 anos, que mora em Salinópolis, nordeste paraense, há três anos sofreu uma amputação no meio da coxa direita e, por meio do trabalho desenvolvido pela equipe da Oficina Ortopédica, foi atendido e recebeu uma prótese transfemural. "Foi muito bom ter recebido a prótese aqui no serviço da Uepa, estou muito grato. Depois que comecei a receber o atendimento e usar a prótese, minha vida mudou, me sinto útil novamente", relatou.

Na Ueafto, José Luis faz atividades de fisioterapia, terapia ocupacional e o treinamento na Oficina ortopédica, às quartas-feiras, através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD). "Ainda uso as muletas e o treinamento é para que a gente aprenda a andar somente com a prótese", explicou, confiante em ganhar mais autonomia e qualidade de vida. "Na Oficina da Uepa tem excelentes profissionais, dedicados, competentes e, acima de tudo, humanos", completou.

O quantitativo de atendimentos e a produção de dispositivos estão diretamente atrelados à quantidade de profissionais existentes na oficina, na disponibilidade dos componentes ortopédicos adequados (sistemas modulares de membros superiores e inferiores, joelhos, pés, mãos protetivas, fixadores etc) e a constante oferta dos insumos referentes aos materiais de consumo. Com a atual disponibilidade de material, a capacidade instalada é de cerca de 30 a 40 órteses por mês.

Para a Uepa, elevar essa produção e o número de pacientes atendidos, é necessário um suprimento constante de materiais de consumo e a aquisição de componentes ortóticos e protéticos, além de uma maior demanda de profissionais técnicos especializados e capacitados. Com a ampliação do número de profissionais e com a logística de suprimentos adequada, será possível alcançar o número de mais de 500 atendimentos por mês.

"Este é um espaço com recursos do Estado e parceria com vários órgãos como o Ministério da Saúde, e a Oficina Ortopédica é o resultado de todo um trabalho de equipe da Uepa para produzir material e atender bem nossa população; a grande meta é consolidar cada vez mais esse serviço e levar para o interior do estado, descentralizar. Agradecemos a presença e a sensibilidade do Governador com a Universidade", disse o Reitor da Uepa, Clay Chagas.

O governador Helder Barbalho falou da felicidade de estar na Uepa e em nome do reitor e vice-reitora cumprimentou toda a comunidade universitária.

"Festejo mais esse avanço de um equipamento fundamental dentro da estratégia de conciliação da formação educacional com a prestação de serviço para a população, principalmente à população mais carente, que recorre aos serviços da universidade, que recorre aos serviços públicos para poder ter acesso a um bem tão fundamental tão necessário que é a recuperação de um movimento, a busca da diminuição das adversidades, da mobilidade e inclusão. E temos que trabalhar cada vez mais para que as adversidades não sejam obstáculos para que as pessoas possam ter mais qualidade de vida. E particularmente, aqui na Uepa conciliamos essas duas coisas, produzimos equipamento que vai melhorar a vida de alguém e também formamos mão-de-obra capacitada que está sendo espalhada nos hospitais, nos centros ortopédicos, por toda parte no Pará e no país".

O governador ainda aproveitou para complementar parabenizando a obra.

"Contem conosco, parabéns por essa obra, pelo trabalho e pelos serviços que a Uepa presta aqui. Como cidadão só tenho a agradecer e, todos os dias vocês podem ver nos olhos de quem aqui entra com um nível de esperança e, a partir do trabalho de vocês, sai daqui compreendendo que ainda há vida diante das adversidades e, isso é fruto do talento de vocês, dos servidores, da escolha de servir. Ser profissional da saúde é servir para o bem estar da nossa população. Parabéns por tudo o que é produzido aqui e à Universidade do Estado. Contem com o Governo do Pará e que cada vez mais possamos juntos estar cuidando do povo paraense", declarou.

Texto: Diane Maués (Ascom Uepa)

bwin Mapa do site