bwin

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
NEGÓCIOS

Ministro do Suriname discute intercâmbio comercial com o Pará

Por Redação - Agência PA (SECOM)
03/03/2015 09h30

O ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca do Suriname, Soeresh Algoe, está em visita oficial ao Pará para discutir a ampliação do intercâmbio bilateral de comércio com o Brasil. Nesta segunda-feira, 2, o ministro foi recebido na Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), pelo presidente Carlos Xavier, pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Hildegardo Nunes, políticos e empresários.

O governo surinamês tem interesse em negociar investimentos e a importação de alimentos do Pará, como carne bovina, frango, pescado e suco de fruta. A visita do ministro Soeresh Algoe foi fruto de convite da Citropar – Cítricos do Pará, empresa que há dois anos iniciou plantio de laranjas no Suriname, onde as condições de clima e solo são semelhantes às do Estado. Como incentivo ao investimento, a Citropar terá 10 anos de isenção de impostos naquele país.

O presidente da empresa, Cláudio Zamperlini Junior, informou que já está projetada a construção de uma fábrica de suco concentrado de laranja no município de Capitão Poço, no nordeste paraense, e que negocia a exportação do produto para o Caricom, bloco econômico que reúne 14 países e seis territórios caribenhos, tendo como porta de entrada o Suriname, que serviria de entreposto para os produtos brasileiros.

O secretário Hildegardo Nunes, que representou o Governo do Estado na reunião, vê com otimismo a possibilidade de ampliar a cooperação com o Suriname, já que o Pará tem condições de atender a demanda de exportação dos produtos de interesse daquele país. “O que falta é um ajustamento à legislação sanitária internacional que é muito rigorosa”, explicou o secretário.

O diretor da Faepa, Guilherme Minssen, informou que o gado de corte e leite do Pará é boi verde, portanto, superior ao gado europeu criado com grão e isento de doenças como a “vaca louca”, que não existe no Brasil. “Temos tecnologia genética avançada que se aplica melhor no Suriname do que à Europeia, já que temos o mesmo tipo de clima”, disse Minssen.

Soeresh Algoe ficou animado com a possibilidade de aumentar e melhorar a qualidade do rebanho bovino de seu país, que tem hoje apenas 43 mil animais. O ministro ficará no Pará até quinta-feira, 5, e vai visitar empresas e fazendas produtoras de gado e aves para conhecer melhor a capacidade empreendedora paraense. Por sugestão do secretário Hildegardo Nunes, será formada uma missão oficial do Estado para visitar o Suriname nos próximos meses, com o fim de continuar as negociações.

bwin Mapa do site