bwin

Agência Pará
Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
AGRICULTURA

Mutirão beneficia agricultores do Parque Estadual de Monte Alegre

Por Redação - Agência PA (SECOM)
24/02/2015 17h46

Famílias agricultoras moradoras da Área de Preservação Ambiental (APA) do Parque Estadual de Monte Alegre, no Baixo Amazonas, já podem iniciar os novos plantios regularizados. Um mutirão que mobilizou a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STTR) e outros órgãos para uma série de visitas resultou na elaboração de um diagnóstico de 40 famílias que vivem no local. A ação responde à demanda da Associação Comunitária Maxirazinho, que congrega as famílias na APA.

Caberá à Emater a emissão do Cadastro Ambiental Rural (CAR) para 19 famílias, documento obrigatório para o licenciamento das áreas de plantio na comunidade. O licenciamento vai garantir a legalização dos novos plantios, principalmente de culturas alimentares como o milho, a mandioca e o feijão, principais atividades agrícolas desenvolvidas na área.

Durante a visita, a Emater também fez atendimento técnico dos agricultores para orientação com relação aos plantios. A idéia é trabalhar com as famílias a adoção de uma prática agroecológica, e não mais o modelo tradicional utilizado pelos agricultores na APA, que utiliza derrubada e queimada. “Estamos recomendando que seja feita uma adubação orgânica nos plantios. É mais saudável e aumenta a produtividade, além de utilizar o que eles já tem na propriedade, como o esterco de gado e a compostagem”, explica o técnico da Emater, Rosírio Assunção.

Só com os tratos culturais adequados que combinam adubação, espaçamento correto e capina, e que já vem sendo trabalhados junto às famílias, a Emater estima que a próxima colheita terá um ganho de produtividade pelo menos igual a 30%. Atualmente as famílias trabalham no plantio do milho; em abril e maio passam ao cultivo do feijão e da mandioca, esta última com colheita média de quase 20 toneladas de raiz por hectare. Os CARs devem ser entregues às famílias até meados do mês de março.

bwin Mapa do site